5 Padrões De Compra Compulsiva

O comportamento compulsivo se refere à repetição contínua de um comportamento, apesar das consequências adversas.

As compulsões são alimentadas pelas obsessões (por exemplo, pensamentos intrusivos de contaminações).

A compra compulsiva é caracterizada por uma preocupação excessiva ou um controle inadequado dos impulsos nas compras e consequências adversas, como conflitos conjugais e problemas financeiros.

Pode-se dizer que cerca de 6% da população dos EUA tem comportamento compulsivo de compra, sendo que 80% dos compradores compulsivos são mulheres.

Muitas mulheres são socializadas desde muito cedo para fazer compras com suas mães e amigos (Workman & Paper, 2010).

No entanto, é provável que a compra compulsiva aumente para os homens com a evolução do comércio digital.

Agora é muito mais rápido e fácil encontrar o que você está procurando.

A compra compulsiva é semelhante à dependência comportamental, como compulsão alimentar e jogo (Lawrence et al, 2014).

Gastos compulsivos frequentemente co-ocorrem com outras doenças mentais, como depressão, ansiedade e distúrbios alimentares.

Ao contrário de outros vícios, que ocorrem na adolescência, os vícios em gastos se desenvolvem principalmente A partir dos 30 anos, quando as pessoas alcançam independência financeira.

A compra compulsiva não está listada como um vício no DSM-5.

No entanto, o problema do impulso parece compartilhar certas características comuns em transtornos de vícios (Black, 2012).

Veja também: Como As Pessoas Obsessivas E Compulsivas Pensam?

1. Compra Por Impulso.

Compradores compulsivos costumam comprar coisas por impulso, das quais podem prescindir.

E eles costumam tentar esconder seus hábitos de compra.

Gastar sem refletir adequadamente pode resultar em muitos itens fechados (caixas de sapatos ou roupas) em seus armários, à medida que continuam o ciclo de compra.

Compradores compulsivos podem se transformar em acumuladores mais tarde na vida, depois que seus produtos se acumulam com o tempo (Mueller, 2007).

2. Compradores Eufóricos.

Compradores compulsivos experimentam uma onda de emoção quando compram.

A experiência eufórica não é de possuir algo, mas do ato de comprá-lo.

Essa onda de excitação é frequentemente sentida quando eles veem um item desejável e consideram comprá-lo.

E essa emoção pode se tornar viciante.

3. Compras Para Amortecer Emoções Desagradáveis.

Compras compulsivas são uma tentativa de preencher um vazio emocional, como solidão, falta de controle ou falta de autoestima.

Muitas vezes, um clima negativo, como uma discussão ou frustração, provoca um desejo de comprar.

No entanto, a diminuição das emoções negativas é temporária e é substituída por um aumento da ansiedade ou culpa (Donnelly et al, 2016).

4. Culpa E Remorso.

As compras são seguidas por sentimentos de remorso.

As pessoas se sentem culpadas e irresponsáveis ​​pelas compras que consideram indulgentes.

O resultado pode ser um ciclo vicioso, ou seja, o sentimento negativo alimenta outra “solução”, comprando outra coisa.

5. A Dor De Pagar.

Pagar com dinheiro é mais doloroso do que pagar com cartão de crédito (Ariely e Kreisler, 2017).

A principal força psicológica dos cartões de crédito é que eles separam o prazer de comprar da dor de pagar.

Os cartões de crédito nos seduzem a pensar nos aspectos positivos de uma compra.

De fato, o transtorno da compra compulsiva é predominante apenas nos países desenvolvidos, onde existe um sistema de crédito e uma cultura de consumo.

Veja também: Sintomas De Transtorno Obsessivo-compulsivo (TOC)

Como Restringir O Desejo De Gastar?

O primeiro passo mais eficaz no tratamento é identificar por que e como suas compras inicialmente se tornaram um problema.

Uma estratégia útil é acompanhar seus gatilhos (emoções negativas, como conflitos familiares, ansiedade ou solidão).

E é preciso lembrar que bens e serviços materiais adicionais inicialmente proporcionam prazer extra, mas geralmente é temporário.

O prazer extra desaparece.

Também é útil enfatizar a importância de gerenciar cartões de crédito ou livrar-se deles.

É um fato conhecido que o uso de dinheiro tende a reduzir gastos excessivos.

Referências

Ariely D. e Kreisler J. (2017). Dólares e senso. NY: HarperCollins Publisher 

Black DW, Shaw M, McCormick B, Bayless JD, Allen J. (2012) Desempenho neuropsicológico, impulsividade, sintomas de TDAH e busca de novidades no transtorno de compra compulsiva. Psiquiatria Res. 200 (2): 581–587.

Donnelly et al. (2016) Comprando para embotar sentimentos negativos: fuga materialista do eu.

Lawrence LM, Ciorciari J, Kyrios M. (2014). Processos cognitivos associados a comportamentos de compra compulsivos e coerência relacionada ao EEG. Psiquiatria Res Neuroimagem; 221 (1): 97-103.

Mueller A, Mueller U, Albert P, et al. (2007). Açambarcamento em uma amostra de compra compulsiva. J Behav Ther Exp Psych; 45 (11): 2754-63.

Workman, L, & Paper, D. (2010). Compra compulsiva: uma estrutura teórica. The Journal of Business Inquiry, 9, 89-126.

Sobre o Autor: André Coelho é Psicólogo e Escritor para o departamento de estresse e ansiedade do portal Auto Ajuda Em foco e faz parte do Auto Ajuda Em Foco desde 2012. André trabalhou tratando indivíduos com transtornos da ansiedade, fobias e estresse pós-traumático por mais de 6 anos.

0 comments… add one

Leave a Comment