A Ansiedade Social Está Deixando Você Para Baixo?

Por que a ansiedade social e a depressão frequentemente andam juntas?

1. Muito Pouco Contato Com As Pessoas.

Todos precisam de uma certa interação social para se sentirem felizes e contentes (mesmo os introvertidos).

Se você não conseguir contato com pessoas suficientes, é natural se sentir triste, solitário e até deprimido.

Mesmo que você fique ansioso perto de certas pessoas, espero que haja pelo menos algumas pessoas com quem você se sinta confortável.

Certifique-se de contar com eles para apoia-lo.

2. Evitando:

Se você evitar uma ampla variedade de situações sociais, sua vida se tornará cada vez mais restritiva e poderá surgir uma depressão.

Muito provavelmente, à medida que você começa a lidar com seus medos sociais e se torna mais confortável em situações sociais, sua depressão irá desaparecer.

Certifique-se de incluir algumas coisas divertidas em sua vida que não causem ansiedade.

Desenhar, ler, ouvir música que você gosta…  

Veja também: Surtar Em Situações Sociais Não É Inevitável

3. Auto-culpa:

Você pode se culpar por ter esse problema.

É importante lembrar que ninguém escolhe ter transtorno de ansiedade social mais do que escolhe ter diabetes, por exemplo.

Ambos são problemas muito reais, merecedores de atenção e tratamento cuidadosos.

Bater em si mesmo não tem nenhum propósito útil; isso apenas o mantém preso.

Em vez disso, tente auto aceitação e autocompaixão.

Veja também: Tratamento De Ansiedade Social: 12 Maneiras Garantidas De Superar

4. Inatividade:

Pode se desenvolver um ciclo vicioso no qual você se sente deprimido e, em seguida, torna-se menos ativo (você não tem vontade de fazer nada).

Quanto menos ativo você for, mais deprimido se sentirá.

Se você está tendo dificuldade para sair desse ciclo, escreva uma programação diária por hora ou até meia hora do que você fará e quando e, em seguida, cumpra-a.

Isso pode parecer muito difícil no início, mas é extremamente útil.

Agende algumas caminhadas pelo bairro ou um parque próximo.

O exercício é um destruidor da depressão.

5. Minimizando:

Certifique-se de dar crédito a si mesmo por suas realizações, por menores que possam parecer.

A única maneira de mudar comportamentos é passo a passo.

Se você tiver dificuldade em reconhecer tudo o que fez, faça uma lista de suas realizações/progresso.

Consulte isso sempre que começar a se concentrar exclusivamente no quanto ainda falta para chegar lá.

Veja também: Ansiedade Social E Uso De Álcool: Um Relacionamento Complexo

6. Fatores Subjacentes Comuns:

É possível que os transtornos de depressão e ansiedade compartilhem alguns fatores contribuintes subjacentes.

Você pode ser vulnerável a ambos os tipos de problemas pelo mesmo motivo, seja uma predisposição biológica hereditária ou fatores ambientais que influenciam o desenvolvimento de ambos os distúrbios.

7. Desesperança:

“Nunca vou melhorar”.

Esse pensamento frequentemente surge na mente das pessoas.

Saiba que isso simplesmente não é verdade.

Leia histórias de sucesso para gerar esperança.

E lembre-se, algum dia você será uma dessas histórias de sucesso.

Sobre o Autor: Mauro Lisboa foi formalmente diagnosticado com Síndrome do Pânico e Transtorno da Ansiedade Generalizada (TAG), sofreu por 12 anos até desenvolver um método próprio baseado na Terapia Cognitivo-Comportamental e Psicologia Avançada que lhe permitiu eliminar todos os sintomas e voltar a viver uma vida normal e plena. Hoje ele ajuda pessoas na mesma situação. Para aprender mais, cadastre seu e-mail acima ou visite ansiedadepanico.com.

0 comments… add one

Leave a Comment