Ansiedade Social Em Crianças

Meu filho de três anos foi diagnosticado com ansiedade social por um especialista em desenvolvimento.

Sua professora da pré-escola me disse que ele é “apenas tímido”.

Devemos nos preocupar se a professora não está levando o diagnóstico a sério?

O que podemos fazer para ajudar nosso filho?

Ansiedade Social E Timidez: Qual É A Diferença?

Existe uma grande variedade do que é “normal”, quando se trata de confiança social.

Isso é verdade para os adultos e ainda mais para as crianças.

Algumas crianças se confiam facilmente com estranhos e gostam de interagir com pessoas que não conhecem muito bem.

Outras crianças são mais céticas e não recebem a atenção das pessoas até que as conheçam.

Podemos pensar nessas crianças como “tímidas”.

Outras, ainda, ficam imobilizadas de medo e ansiedade quando estão em situações sociais.

Esse tipo de reação intensa é o que às vezes é chamado de “ansiedade social”.

Se um professor lê uma criança como “tímida” ao invés de sofrer de ansiedade social, a criança provavelmente está lidando muito bem com a experiência social da sala de aula, o que coloca em questão o diagnóstico de ansiedade social.

Queremos que nossos filhos prestem atenção aos perigos em seu ambiente.

Mas e quando uma preocupação saudável se torna patológica?

Quando devemos considerar a possibilidade de ansiedade social?

Aqui estão alguns comportamentos que sugerimos que você procure: 

  1. Seu filho se sente desconfortável ao falar com adultos ou outras crianças, mesmo quando estão familiarizados com eles?
  2. Seu filho evita contato visual, murmura ou fala muito baixo quando é abordado por outras pessoas?
  3. Seu filho fica vermelho ou treme perto de outras pessoas?
  4. Seu filho chora ou faz birra quando confrontado com novas pessoas?
  5. Seu filho expressa intensa preocupação em fazer ou dizer coisas erradas?
  6. Seu filho reclama de problemas físicos, como dores de estômago, e quer ficar em casa sem ir à escola, fazer excursões ou festas?
  7. Seu filho se afasta das atividades e quer ficar todo o tempo em casa?

Veja também: 5 Estratégias Para Diminuir A Ansiedade Das Crianças

Identificando Problemas Precocemente Sem Patologizar O Desenvolvimento Normal 

É bom identificar problemas potenciais com antecedência e resolvê-los antes que se tornem maiores.

Quando as diferenças são vistas como oportunidades de aprendizagem, muitas vezes se tornam pontos fortes para as crianças.

Isso é verdade tanto para questões sociais quanto para desenvolvimento mais lento da atenção, coordenação física ou leitura.

Mas evite o rótulo, a menos que seja necessário.

Uma boa regra para as diferenças entre as crianças e as outras é evitar usar um rótulo que soe oficial, a menos que seja absolutamente necessário para a criança receber o tratamento necessário.

Isso é tão verdadeiro para a ansiedade social quanto para as dificuldades de aprendizagem e para a superdotação.

Os rótulos podem trazer problemas, incluindo a sensação de que há algo (permanentemente) errado com a criança.

Isso pode corroer a confiança, bem como o aprendizado natural e os processos de crescimento que, de outra forma, levariam a criança a superar o problema.

Na maioria das vezes, as soluções podem ser encontradas sem o uso de um rótulo assustador.

Mecanismos De Enfrentamento: Apoie A Confiança De Seu Filho Em Situações Sociais

Comece Com Você Mesmo.

Se você fica ansioso em encontros sociais, está transmitindo essa ansiedade para seu filho.

Assim como os pais podem ensinar os filhos a dar as boas-vindas ou temer os cães ou as lagartas, eles podem ensiná-los a dar as boas-vindas ou temer as outras pessoas.

Seja Positivo.

A ansiedade social é uma preocupação com o julgamento dos outros.

Portanto, não critique o comportamento ou as interações de seu filho com os outros.

Em vez disso, procure fontes de celebração para dar parabéns.

Veja O Professor Como Um Aliado Na Solução De Problemas.

Os professores nem sempre estão certos e um determinado professor nem sempre é bom para uma determinada criança, mas geralmente as coisas vão melhor para uma criança quando seus pais trabalham de forma construtiva e respeitosa com o professor.

Respiração Profunda.

Um dos truques mais antigos para reduzir a ansiedade: respire fundo.

E depois respire fundo de novo e…

Mágica. Passou.

Já vi crianças de apenas 18 meses aprenderem a fazer isso.

Tempo Quieto Sozinho.

A creche e a pré-escola são lugares estressantes para crianças pequenas.

Às vezes, o que parece ser ansiedade social é uma necessidade normal e saudável de ficar sozinho por alguns minutos.

Todas as crianças devem ter um espaço seguro onde possam escolher para se refugiarem para um tempo sossegado.

Atenção Plena.

Quando as crianças aprendem a prestar atenção em seus próprios sentimentos, podem ativar estratégias de enfrentamento conforme necessário, como respirar profundamente ou passar alguns minutos sozinhas.

Encenação.

Invente situações sociais com seu filho e represente-as em conjunto.

Seja tão criativo quanto você quiser, trazendo fantasias, adereços, irmãos e bichos de pelúcia para a ação, se quiser.

Leia Livros Sobre Problemas Sociais E Confiança.

Depois fale sobre o que está indo bem (ou mal) para os personagens.

Brincadeira Ao Ar Livre.

Passar o tempo ao ar livre correndo, no balanço, cavando e brincando traz muitos benefícios, um dos quais é reduzir a ansiedade.

Isso é verdade tanto para crianças quanto para adultos.

Gratidão.

Ensine a seu filho o hábito de procurar fontes de gratidão.

Isso ajuda a mudar o canal emocional do medo para a gratidão.

Atividades Sociais Divertidas.

Identifique as atividades de que seu filho gosta, sejam musicais, atléticos ou qualquer outra coisa.

Em seguida, procure circunstâncias em que eles possam participar dessas atividades com outras pessoas de sua idade.

Respeite O Temperamento Do Seu Filho.

Seu filho pode precisar de mais tempo sozinho do que os outros e pode demorar mais do que os outros para ser afetuoso com estranhos.

Tudo bem e não é algo para consertar.

Confie Na Competência Do Seu Filho.

Não tente protegê-los das interações sociais falando por eles ou permitindo que evitem todas as atividades sociais.

A superproteção é paralisante.

Passos De Bebê.

O aprendizado acontece um pequeno passo de cada vez.

Leve o aprendizado social de seu filho tão devagar quanto necessário, lembrando que haverá dias ruins e bons ao longo do caminho.

Pense em cada “falha” ou problema como uma oportunidade de reagrupar, repensar e tentar novamente.

Equilíbrio.

Permita que seu filho fique sozinho e tenha tempo livre de que ele precisa, bem como oportunidades para um envolvimento social positivo.

Confie Na Sua Intuição.

Se você ajudou seu filho com os mecanismos de enfrentamento e trabalhou com o professor, e ainda acha que as necessidades de seu filho não estão sendo bem atendidas, é hora de buscar mais ajuda profissional, defender a mudança na escola de seu filho ou mudar de escola.

0 comments… add one

Leave a Comment