Como O Treinamento De Força E Resistência Ajuda A Manter A Ansiedade Sob Controle

Braços fortes e abdominais sarados não são os únicos benefícios do treinamento de resistência.

Há evidências crescentes de que isso também pode ajudá-lo a resistir a preocupações e ansiedade excessivas.

O treinamento de resistência (também conhecido como treinamento de força ou treinamento com pesos) cria força e resistência muscular exercitando um músculo ou grupo muscular contra a resistência externa.

Pesos livres, halteres, aparelhos de musculação, faixas de resistência, bolas medicinais ou o peso do seu próprio corpo podem ser usados ​​para desafiar seus músculos dessa maneira.

No processo, você também pode estar fazendo um favor à sua perspectiva mental.

“A literatura de pesquisa sugere que mesmo exercícios únicos de exercício resistido podem produzir melhorias moderadas na ansiedade”, diz Justin Strickland, MS, um estudante de doutorado da Universidade de Kentucky e principal autor de um artigo de revista revisando esta pesquisa.

Da mesma forma, observa Strickland, vários pequenos estudos descobriram reduções na ansiedade quando o treinamento de resistência é realizado regularmente por seis semanas ou mais.

Isso é válido em vários grupos de pessoas, incluindo adultos mais velhos, sobreviventes de derrame e mulheres com síndrome dos ovários policísticos.

Uma montanha de evidências mostra que exercícios aeróbicos – como caminhada, corrida, ciclismo ou tênis – podem ajudar a melhorar o seu humor, reduzir o estresse e aumentar o bem-estar.

Comparativamente, as pesquisas sobre o potencial de combate à ansiedade do treinamento de resistência ainda estão no estágio intermediário.

Embora ainda haja muito a aprender, estudos iniciais oferecem pistas sobre como o exercício de residência pode ajudar a manter a ansiedade sob controle.

Veja também: Como Se Acalmar: 15 Coisas Para Fazer Quando Você Está Ansioso Ou Com Raiva

Melhora O Sono De Pessoas Com Problemas Crônicos

Preocupar-se de vez em quando faz parte da vida.

Mas para as pessoas com transtorno de ansiedade generalizada (TAG), a preocupação e a ansiedade excessivas e contínuas sobre uma variedade de coisas podem sair de controle.

O sono perturbado costuma andar de mãos dadas com esse padrão de preocupação crônica.

Pessoas com TAG podem ter problemas para adormecer ou seu sono pode ser instável e inquieto.

Uma maneira de o treinamento de resistência ser benéfico é promover um sono melhor.

Em um estudo interessante, mulheres jovens com TAG foram aleatoriamente designadas para treinamento com pesos na parte inferior do corpo (exercício de resistência), ciclismo (exercício aeróbico) ou uma lista de espera (grupo de controle).

Os grupos de exercícios aeróbicos e de resistência malharam duas vezes por semana durante seis semanas.

Ambos os tipos de exercício melhoraram o sono, especialmente no fim de semana.

O treinamento de resistência foi particularmente útil.

“Basicamente, o treinamento físico de curta duração ajudou essas jovens a dormir mais rapidamente e a dormir com mais eficiência”, diz Matthew Herring, Ph.D, pesquisador principal e professor de psicologia do exercício da Universidade de Limerick, na Irlanda.

Melhorias no sono foram associadas a reduções na ansiedade.

“Nossas descobertas não abordaram se a redução da ansiedade levou a um sono melhor ou vice-versa”, diz Herring.

No entanto, outras pesquisas sugerem que o relacionamento corta nos dois sentidos, e a atividade física pode ser boa para os dois ao mesmo tempo.

Veja também: Como Controlar Suas Emoções Quando Estão Fora De Controle

Impede A Ansiedade Crescer E Sair Do Controle

Uma segunda maneira pela qual o treinamento de resistência pode ser benéfico é reduzindo a sensibilidade à ansiedade – medo das sensações físicas causadas pela ansiedade.

Pessoas com alta sensibilidade à ansiedade costumam catastrofizar essas sensações, diz Joshua Broman-fulks, Ph.D, professor de psicologia clínica da Appalachian State University.

Por exemplo, eles podem acreditar que um coração ansioso e acelerado é um sinal de um ataque cardíaco iminente.

Isso apenas os faz se sentir ainda mais alarmados.

Com o tempo, eles começam a temer não apenas o objeto ou situação que originalmente desencadeou sua ansiedade, mas também a própria sensação angustiante.

Em um estudo liderado por Broman-fulks, os voluntários foram aleatoriamente designados para uma única sessão de 20 minutos de treinamento com pesos (exercício de resistência), uso de esteira (exercício aeróbico) ou descanso (grupo controle).

Posteriormente, eles participaram de uma tarefa de desafio com dióxido de carbono.

Isso envolvia inalar um cheiro de dióxido de carbono misturado ao oxigênio, o que os fazia sentir momentaneamente sem fôlego – uma sensação que imitava a respiração rápida e superficial causada pela ansiedade.

Eles também responderam a um questionário que mediu a sensibilidade à ansiedade.

Os resultados mostraram que exercícios resistidos e aeróbicos foram igualmente eficazes na redução da sensibilidade à ansiedade.

O estudo não analisou como o exercício exerceu esse efeito, mas Broman-fulks especula que ele possa “servir como uma forma de terapia de exposição a sensações temidas entre indivíduos com alta sensibilidade à ansiedade”.

Enfrentando Sensações Temidas De Frente

A terapia de exposição é um tratamento bem estabelecido para a ansiedade.

Nessa abordagem, as pessoas enfrentam sistematicamente uma situação que as assusta excessivamente.

Ao verem que podem enfrentar a situação sem que algo terrível aconteça, seu medo começa a desaparecer.

Para os voluntários do estudo, o exercício de intensidade moderada permitiu que eles enfrentassem a sensação de respirar um pouco mais do que o normal.

No laboratório, essa experiência pareceu ajudá-los a lidar com o desafio do dióxido de carbono que se seguiu.

No mundo, experiências positivas de exercícios podem ajudar as pessoas a perceber falta de ar devido à ansiedade sem exagerar.

Juntamente com as mudanças na respiração, outras respostas fisiológicas ao exercício incluem uma frequência cardíaca elevada e aumento da transpiração.

Embora costumemos associar essas alterações a exercícios aeróbicos, Broman-fulks observa que o trabalho de força e resistência também pode provocá-las.

“Durante o treinamento de resistência, breves períodos de descanso entre as séries permitem que essas sensações normalizem um pouco antes de serem aumentadas novamente na próxima série”, diz ele.

Ele compara o efeito à realização de inúmeras “sessões de miniexposição” em todos os exercícios de treinamento de resistência.

“Em nosso estudo, um único treinamento de resistência levou a reduções significativas na sensibilidade à ansiedade”, diz Broman-fulks.

“As evidências acumuladas até o momento sugerem que o treinamento com pesos pode ser uma maneira eficaz de reduzir a ansiedade e outros estados negativos de humor”.

Referências

Broman-fulks, JJ, Kelso, K. e Zawilinski, L. (2015). Efeitos de uma única sessão de exercício aeróbico versus treinamento de resistência em vulnerabilidades cognitivas para transtornos de ansiedade. Terapia Cognitivo Comportamental, 44, 240-251.

Herring, MP, Kline, CE, & O’Connor, PJ (2015). Efeitos do exercício no sono em mulheres jovens com transtorno de ansiedade generalizada. Saúde Mental e Atividade Física, 9, 59-66.

Strickland, JC, & Smith, MA (2014). Os efeitos ansiolíticos do exercício resistido. Fronteiras em Psicologia, 5, 753.

Sobre o Autor: Mauro Lisboa foi formalmente diagnosticado com Síndrome do Pânico e Transtorno da Ansiedade Generalizada (TAG), sofreu por 12 anos até desenvolver um método próprio baseado na Terapia Cognitivo-Comportamental e Psicologia Avançada que lhe permitiu eliminar todos os sintomas e voltar a viver uma vida normal e plena. Hoje ele ajuda pessoas na mesma situação. Para aprender mais, cadastre seu e-mail acima ou visite ansiedadepanico.com.

0 comments… add one

Leave a Comment