Fobia De Dirigir: Aqui Está O Tratamento Ideal

Uma Vez Na Vida

Geralmente é o caso de uma pessoa que tem uma fobia de dirigir também ter outras fobias.

O medo básico de uma agorafobia, que é a fobia mais comum e é a condição da qual a maioria dos outros deriva, é ter um ataque de pânico em uma das várias situações particulares, incluindo dentro de um carro.

Qualquer lugar do qual uma pessoa fóbica sente que não pode sair imediatamente é um candidato para se tornar um desses ambientes.

Eles incluem circunstâncias em que existe uma restrição física, como um elevador, onde você pode ficar preso, ou uma restrição social, como sentar-se com outras pessoas em um restaurante.

Uma vez que essa situação é evitada, e depois evitada repetidamente, diz-se que a pessoa é fóbica para essa situação.

As fobias geralmente se espalham.

A seguir, são apresentadas algumas dessas situações comuns: estar dentro ou sobre uma ponte, túnel, elevador, avião, shopping, restaurante, teatro, escada rolante – e também um carro.

A característica definidora de um ataque de pânico é a sensação de uma iminente perda de controle.

Isso aparece em uma fobia motriz de duas maneiras.

Metade das pessoas com fobia de dirigir tem um medo especial de ser passageiro no carro, porque tem a sensação de não estar no controle.

Elas podem evitar aviões pelo mesmo motivo.

A outra metade tem medo de dirigir, porque tem medo de perder o controle do volante e causar um acidente.

Veja também: 10 Sinais Que Você É Uma Mulher Que Se Preocupa Demais Com Tudo

O elemento essencial de uma terapia de exposição é convencer os pacientes de que eles não perderão o controle.

Digo a eles que, em mais de 40 anos lidando com esse problema, o Centro de Ansiedade e Fobia nunca viu um paciente sofrer um acidente quando em meio a um ataque de pânico.

Por outro lado, lembro-me de uma mulher que estava tão relaxada após o tratamento que adormeceu na estrada e entrou em uma árvore.

Mas ela não estava em pânico na época e não sofreu um retorno de sua fobia ao dirigir como resultado do acidente.

Em outra ocasião, eu estava trabalhando com um paciente quando outro carro pulou o parapeito e nos atingiu.

Esse incidente não piorou sua fobia motriz, pois o elemento importante em uma fobia motriz é o medo da perda de controle e não o medo de que algo mais aconteça.

Mas quando tento tranquilizar os pacientes dessa maneira, eles não ficam tranquilizados.

Eles descontam o que eu digo.

Embora eles próprios nunca tenham sofrido um acidente, eles sentem que estavam à beira de um acidente muitas vezes.

Se eles não tivessem parado ao lado da estrada naquele momento, ou se algo não tivesse acontecido naquele momento para distraí-los, eles certamente teriam sofrido um acidente.

Eles se lembram de dirigir um carro como uma série de quase acidentes.

Geralmente, a única maneira pela qual os pacientes podem ser realmente tranquilizados é dirigindo várias vezes, cada vez mais, mesmo quando estão em pânico.

Eles precisam descobrir por si mesmos que não perderão o controle do carro.

Às vezes, isso leva um tempo considerável.

Um paciente pode ter que começar a dirigir na calçada da garagem antes de avançar E dirigir pela vizinhança e, finalmente, dirigir em rodovias.

Às vezes, embora rara, uma fobia motriz pode começar subitamente após um acidente.

Se a fobia ocorre, pode durar muito tempo.

Mas houve uma ocasião em que descobri que estava no conjunto exato de circunstâncias para impedir que essa fobia se desenvolvesse.

Uma paciente que era fóbica de várias maneiras, mas ainda não havia desenvolvido fobia motriz, chegou atrasada à consulta.

“Eu simplesmente me envolvi em um acidente”, ela me disse, muito agitada.

“Eu nunca mais vou entrar em um carro”.

Aconteceu que o acidente não foi culpa dela, mas seu carro deu perca total.

Veja também: 8 Passos Para Superar Seu Medo De Voar

Eu disse a ela o que todo mundo sabe: que ela tinha que começar a dirigir imediatamente, ou teria problemas para dirigir novamente.

Ela disse que provavelmente teria um ataque de pânico, e continuamos com a discussão usual sobre se isso causaria um acidente.

Eu sabia que ela estava planejando visitar sua mãe do outro lado da cidade.

“Escute”, eu disse, “você vai se atrasar para ver sua mãe. Acabei de comprar um carro novo, você pode pegar emprestado”.

E entreguei a chave do meu carro novo.

Ela olhou para a chave, mas depois pegou.

Ela dirigiu o carro até a mãe e voltou, sem receios.

“imaginei que você tinha certeza que eu estava segura”, ela disse, “por você ter deixado eu dirigir seu carro novo”.

Ela nunca desenvolveu uma fobia de dirigir.

Agora, eu sei que a reação do leitor a essa história é pensar que eu fui imprudente.

Mas imagine que eu estava falando muito sério quando tive certeza de que ela não perderia o controle do carro.

Eu sabia, é claro, que qualquer pessoa pode sofrer um acidente por qualquer motivo; mas me senti tão seguro como se um vizinho tivesse pedido emprestado meu carro.

Além disso, a mãe dela morava apenas cerca de 25 minutos. Nunca tive a oportunidade de fazer tal oferta novamente.

0 comments… add one

Leave a Comment