O Triângulo Vicioso Do Perfeccionismo, Ansiedade E Depressão

É oficial.

Tenho uma dose saudável…errada, doentia…de paralisia da procrastinação perfeccionista.

Bem, esse é o meu termo para isso.

A incapacidade de iniciar uma tarefa ou o atraso consistente de iniciar a referida tarefa devido à necessidade de o resultado dessa tarefa ser perfeito.

(Não me pergunte quanto tempo levei para escrever isso. Ainda estou em pânico porque sei que poderia ser melhor).

Situação atual: medo de publicar um post imperfeito.

Eu lidei com o perfeccionismo na terapia há muitos anos.

Por muitos anos em terapia, devo dizer que lidei com o perfeccionismo.

Mas questões profundas tendem a ser, bem, profundas.

Eles voltam para nos assombrar e caçar de várias formas ao longo de nossas vidas.

Pense nisso como se o universo tivesse níveis de videogame, exceto que temos que ser jogadores, independentemente de estarmos conectados ou não.

O Universo diz: “OK, então você conseguiu um nível fácil de perfeccionismo.

Vamos ver o que você realmente tem. Aqui está: tente avançado”.

Meu transtorno de ansiedade generalizada e o transtorno bipolar (especialmente o lado da depressão) se misturavam muito bem, se não destrutivamente, com a minha necessidade de que tudo fosse além do excelente.

O resultado para mim foi uma conversa interna terrivelmente cruel, sentimentos penetrantes de inadequação, preocupação flutuante constante e depressão contínua que não se elevariam, mesmo que eu concluísse algo bem.

Meu mantra era “nunca é bom o suficiente, nunca é bom o suficiente, nunca é bom o suficiente”.

Mas, quando recebi tratamento adequado e eficaz na forma de aconselhamento, medicação, mudanças no estilo de vida e minhas próprias ferramentas de bem-estar, minha necessidade de perfeição diminuiu.

Mas o perfeccionismo me recebeu mais uma vez e está me impedindo de realizar tarefas.

Veja se você pode se relacionar.

Por favor, não me diga se não pode, porque também terei um problema de identidade de alienação.

Eu procrastinei escrevendo uma postagem no blog porque quero que ela seja perfeita.

O perfeccionismo alimenta mais procrastinação, que alimenta mais ansiedade, que alimenta perfeccionismo, que alimenta a procrastinação, que… etc, etc.

Você entendeu.

Minha solução?

Observe dois elementos principais do perfeccionismo e use métodos para combatê-los.

Veja também: As Mulheres São Muito Mais Ansiosas Do Que Os Homens – Aqui Está A Ciência

Elementos Do Perfeccionismo:

  • Os “E SEs”
  • O Mantra Ameaçador

Métodos Para Combater O Perfeccionismo

Para “E SEs”:

  • Tática “nomeie esse medo”
  • Técnica “Depois o que eu faço”?
  • Bons redirecionamentos para os “E SEs”

Para o Mantra ameaçador:

  • Pratique um novo mantra

Pegue não problema atual como exemplo: adiando a redação deste post.

1. Tática “Nomeie Esse Medo”

Quais são os ‘e se’?

Não se preocupe se não forem racionais.

‘E se’ prospera na irracionalidade.

Ao por em uma lista meus medos “e se”, eu concretizo todos eles e não viram um sentimento vago de pressentimento.

Com isso, examino a probabilidade de ocorrência e, se necessário, a resolução de problemas.

  • E se eu escrever meu artigo e ninguém gostar?
  • E se este post não for tão bom quanto os meus outros?
  • E se eu ofender meus leitores?
  • E se as pessoas rirem de mim e me ridicularizem?

2. Técnica “Depois O Que Eu Faço”?

Qual a probabilidade de esses medos ocorrerem?

Pouco provável.

Mas se acontecer, então o que eu faço?

Leve o medo até o fim e veja como eu lidaria com isso porque a boa notícia é que tenho habilidades de enfrentamento.

E se eu for ridicularizado e excluído?

Por mais improvável disso acontecer, e se as pessoas rirem de mim?

O que eu faço?

Vou me sentir triste, talvez solitário.

Depois o que?

Bem, posso ligar para um amigo que se importa comigo.

Depois o que?

Eu provavelmente me sentirei menos sozinho.

Depois o que?

Não vou me importar tanto que as pessoas riram de mim.

Depois o que?

Se ainda me sentir chateado, posso conversar com meu terapeuta, escrever no meu diário, receber um abraço do meu marido, dar um passeio, respirar.

Essas são as coisas que eu sou capaz de fazer que me ajudarão a lidar se meus piores ‘e se’ se tornarem realidade.

Veja também: 21 Dicas Rápidas Para Mudar Sua Ansiedade Para Sempre

3. Bons Redirecionamentos Para Os “E Ses” 

Minha tendência (se você ainda não percebeu) é antecipar o pior.

Eu simplesmente sou desse jeito.

Então, preciso redirecionar conscientemente meu pensamento para o que aconteceria se coisas boas acontecessem.

E se:

  • E se minha postagem foi bem recebida?
  • E se recebo muitos comentários positivos?
  • E se eu me sentir bem com o meu produto acabado?

Talvez não seja tão surpreendente, é provável que ocorram cenários de casos positivos.

E o “mantra ameaçador: nunca é bom o suficiente, nunca é bom o suficiente’?

4. Pratique Um Novo Mantra 

Aprendi isso com um conselheiro com quem trabalhei nos meus 20 e poucos anos e foi uma das realizações mais libertadoras que já tive: bom o suficiente é bom o suficiente.

Bom o suficiente realmente é bom o suficiente.

Eu não posso dizer o suficiente.

Literalmente.

Até hoje, eu digo isso para mim mesmo (em voz alta às vezes) quando fico paralisada pelo perfeccionismo, ansiedade e preocupação.

É um botão de reset no meu cérebro.

É como religar meus circuitos neurais e redirecionar meus caminhos sinápticos e todo o corpo para absorver e entender que o que é bom o suficiente é bom o suficiente.

Ufa!

Bem, aí está o meu post, que é bom o suficiente.

E se você não gostar?

Bem, eu posso lidar com isso.

E se você gostar?

Bem, eu posso lidar com isso também.

Então, deixe-me saber o que você pensa – bom ou ruim.

Sério.

Lembre-se que eu posso lidar com isso.

0 comments… add one

Leave a Comment