Os Vários Benefícios Da Música Para A Saúde E O Sono

A Música É Uma Ferramenta Incrível Para Saúde Emocional, Desempenho Diário E Sono.

A música é um elemento regular na minha vida diária.

Eu ouço música para me manter motivado enquanto exercito, para relaxar e me distrair quando viajo e para um rápido impulso de criatividade quando estou escrevendo.

Minha família – especialmente meus filhos – tem música tocando em casa o tempo todo.

Eu também uso música relaxante para relaxar antes de dormir.

A música é uma parte especialmente eficaz da minha própria hora de desligamento nas noites em que meu cérebro está conectado ou estou me sentindo tenso.

A música é uma ferramenta incrivelmente terapêutica para a saúde emocional, desempenho diário e sono.

Tem sido usado como terapia de cura na maior parte da história da humanidade.

As culturas árabes antigas tinham músicos trabalhando ao lado de médicos.

Os gregos usavam música para tratar doenças mentais.

Após a Segunda Guerra Mundial, músicos foram levados aos hospitais dos EUA para ajudar na cura do trauma físico e emocional dos soldados.

Veja também: Uma Noite De Cada Vez: Sono, Álcool E Recuperação

Como A Música Afeta A Mente E O Corpo

Todos conhecemos a experiência de ouvir uma música favorita e sentir uma onda de prazer ou começar imediatamente a bater em nossos pés.

A música tem efeitos poderosos e diversos no corpo e na mente, influenciando a respiração e os batimentos cardíacos, desencadeando a liberação de hormônios, estimulando o sistema imunológico e aumentando os centros cognitivos e emocionais do cérebro.

Não existe um único tipo de reação à música.

Isso faz parte do que faz da música uma ferramenta única e poderosa.

Diferentes melodias, tempos e ritmos podem desencadear reações muito diferentes, assim como músicas com letras ou músicas sem palavras.

Depois, há nossas respostas emocionais únicas e individuais à música e as memórias que cada um de nós associa a músicas familiares a nós.

(A música ativa muitas partes do cérebro, incluindo o hipocampo, que processa memórias).

Como uma ferramenta para melhorar o sono, músicas calmantes e relaxantes podem:

  • Desacelerar a respiração
  • Diminuir a Frequência cardíaca
  • Diminuir a Pressão arterial mais baixa
  • Silenciar o sistema nervoso
  • Aliviar a tensão muscular
  • Reduzir o estresse e a ansiedade
  • Desencadear a liberação de hormônios que favorecem o sono, incluindo serotonina e ocitocina
  • Reduzir hormônios que sufocam o sono, como o cortisol

A música também pode estimular a mente e o corpo.

Música animada e otimista pode:

  • Elevar a frequência cardíaca
  • Promover resistência física
  • Ativar áreas do cérebro responsáveis ​​pela coordenação física, foco e atenção mentais e criatividade
  • Acionar a liberação de hormônios, incluindo dopamina e adrenalina, que aumentam o estado de alerta

A chave é escolher a música certa para a hora do dia ou da noite e os efeitos desejados.

(Mais sobre isso em um minuto). Primeiro, vejamos o que a ciência tem a nos dizer sobre como a música pode melhorar o sono.

Veja também: 5 Dicas Para Acalmar Uma Mente Inquieta Antes De Ir Dormir

Os Benefícios Da Música Para Dormir 

A música relaxante desencadeia alterações no corpo que, de várias maneiras, imitam o estado de sono.

Uma frequência cardíaca mais lenta, respiração mais lenta e pressão arterial mais baixa são todas mudanças fisiológicas que tornam possível o processo de adormecer e permanecer adormecido.

A música também tem um efeito calmante em nosso cérebro emocional, aliviando o estresse e a ansiedade.

Se você está ouvindo música que o relaxa antes de dormir, está ajudando a “sintonizar” seu corpo no modo de dormir, tanto física quanto psicologicamente.

Portanto, não é surpresa que a pesquisa científica tenha medido vários benefícios que a música pode ter no sono.

Vários estudos mostram que ouvir música na hora de dormir melhora a qualidade do sono, inclusive em adultos jovens, idosos e crianças.

Há também um conjunto de evidências mostrando que ouvir música antes de dormir pode ajudar a melhorar a qualidade do sono de adultos com insônia.

Veja também: 3 Dicas Para Dormir Melhor – Superando Sua Insônia

Música Melhora A Eficiência Do Sono

Essa é a medida do tempo que você passa dormindo, em comparação com o tempo total que você passa na cama.

Uma menor eficiência do sono pode ser uma indicação de sono inquieto com despertares durante a noite, problemas para adormecer no início da noite ou acordar muito cedo e não conseguir cair no sono.

Pesquisas mostram que uma sessão de música antes da hora de dormir pode ajudá-lo a adormecer mais rapidamente.

A música é um tratamento eficaz para distúrbios do sono crônicos e de curto prazo, de acordo com uma análise recente de pesquisa.

Os efeitos terapêuticos da música no sono ficam mais fortes com o tempo, concluiu o estudo, o que significa que quanto mais você usa a música para ajudá-lo a dormir, mais eficaz a prática pode se tornar.

Veja também: Valeriana Para Dormir E Para Reduzir Até Sair De Medicamentos Contra Ansiedade

A Influência Da Música Sobre O Humor E O Estresse Também Ajuda A Dormir 

Uma das maneiras mais importantes pela qual a música pode ajudar a dormir é indiretamente, por seus efeitos no humor e no estado emocional.

Nosso humor tem um impacto significativo em como dormimos.

O estresse é sem dúvida o desafio mais comum à capacidade de meus pacientes de adormecer rotineiramente na mesma hora de dormir todas as noites e de dormir profundamente durante toda a noite.

Depressão, ansiedade e outros transtornos do humor frequentemente andam de mãos dadas com problemas de sono, incluindo insônia.

(Escrevi recentemente sobre como a falta de sono prejudica sua saúde emocional – você pode ler esse artigo aqui).

O sono tem uma relação bidirecional com humor e equilíbrio emocional.

Isso significa que o sono ruim pode ser uma causa e um sintoma de lutas com o humor.

Depressão, ansiedade, estresse e outros problemas emocionais e psicológicos interferem no sono.

E dormir mal pode nos tornar mais vulneráveis ​​ao estresse, mais emocionalmente reativos e mais propensos a depressão e ansiedade.

Quando encontramos maneiras de aliviar o estresse e melhorar o humor, o sono quase sempre melhora.

A música, com sua capacidade de ativar e influenciar os centros emocionais e de memória do cérebro, pode ajudar.

Vários estudos testaram a eficácia da música para reduzir o estresse em situações de alta ansiedade – geralmente em pacientes submetidos a tratamentos médicos, como cirurgia.

Nessas circunstâncias, os pesquisadores descobriram que ouvir música pode diminuir significativamente a ansiedade, ainda mais efetivamente do que os medicamentos prescritos.

Também pode diminuir a ansiedade e, simultaneamente, melhorar o sono em pessoas que sofreram trauma físico e emocional, como em pesquisas realizadas na Universidade do Kansas.

Também em adultos saudáveis, as pesquisas mostraram que ouvir música relaxante reduz os sentimentos de ansiedade, bem como os sintomas físicos que acompanham a ansiedade, incluindo pressão arterial e batimentos cardíacos elevados e excitação do sistema nervoso.

Também reduz o cortisol, um hormônio que estimula a atenção e também o estresse, de acordo com inúmeros estudos.

Pesquisas mostram ainda como a música pode ser eficaz no alívio dos sintomas da depressão e de outros transtornos do humor.

Ela pode melhorar a depressão e sono em pessoas com transtorno de estresse pós-traumático, de acordo com pesquisas recentes.

Depressão e sono também mostraram melhora em um estudo que investigou os efeitos da música relaxante para pessoas com esquizofrenia.

Veja também: Óleo De Peixe: O Líquido Para Depressão E Transtornos Do Humor

A Música Trata A Dor – E Ajuda A Dormir Por Associação 

Outro benefício indireto que ouvir música pode ter para dormir?

Sua capacidade de reduzir a dor.

Dor física e desconforto são obstáculos comuns para dormir bem.

Assim como o humor, a dor e o sono têm um relacionamento complexo e dinâmico que funciona nas duas direções.

A dor interfere no sono, e dormir mal aumenta nossa sensibilidade à dor.

A boa notícia é que, quando você melhora uma, é provável que melhore a outra.

Há um crescente corpo de pesquisa demonstrando o que nossos ancestrais parecem saber: a música pode aliviar a dor.

Uma análise de mais de 70 estudos mostra que ouvir música antes, durante e após a cirurgia reduz a dor (assim como a ansiedade).

Os pacientes que ouviam música eram menos dependentes de analgésicos.

Ouvir música pode ajudar tanto a dor aguda quanto a crônica, incluindo dores crônicas difíceis de tratar associadas a condições como fibromialgia.

Ao mesmo tempo em que alivia a ansiedade, a música também estimula o sistema imunológico e fornece uma saída para a liberação emocional, o que pode ajudar a explicar por que os estudos mostram que a música é eficaz para melhorar a dor em várias condições e circunstâncias, tanto em crianças quanto em adultos.

Os cientistas ainda não sabem ao certo por que a música tem efeitos analgésicos.

Pode ser a capacidade da música de relaxar e aliviar a tensão, ou de distrair-se do desagrado da dor física.

Pode ser o estímulo de hormônios pela música (como dopamina e ocitocina), as emoções e memórias que a música evoca – ou todas as anteriores.

Não Apenas Para Relaxar: Maneiras Pelas Quais A Música Pode Melhorar O Desempenho 

Há algumas pesquisas bastante interessantes sobre as várias maneiras pelas quais ouvir música pode influenciar o desempenho mental e físico.

Criatividade:

Estudos como este recente de 2017 indicam que ouvir música “feliz” pode estimular o pensamento criativo e inovador.

O que é música feliz?

A resposta pode ser um pouco diferente para todos.

Mas de um modo geral, é a música que é ao mesmo tempo energizante e positiva para o ouvinte.

Foco:

Existem evidências indicando que a música melhora a capacidade do cérebro de se concentrar e ser produtivo.

Mas a ciência está longe de ser definitiva, e os efeitos da música no foco e na produtividade parecem ser altamente individuais – o que funciona para uma pessoa pode não funcionar tão bem para outras.

Algumas diretrizes básicas?

Evite músicas com letras se estiver tentando se concentrar em uma tarefa que usa o idioma.

Não toque a música muito alto.

E certifique-se de escolher a música que você gosta – mas não tanto que a distraia da sua tarefa em mãos!

Resistência E Desempenho Físico:

Se você se exercita, provavelmente teve a experiência de estar pedalando um pouco mais rápido quando essa música (qualquer música que você realmente ama) aparece no sistema de som da academia.

Estudos mostram que a música pode nos ajudar a aumentar nosso esforço e resistência durante o exercício.

Ouvir música também faz com que exercícios vigorosos pareçam mais divertidos e talvez nos torne mais propensos a ficar com eles.

Você provavelmente não procura músicas lentas quando está se exercitando.

Em vez disso, opte por músicas motivacionais e de alta energia, com uma batida forte e constante.

Os cientistas que estudaram os efeitos da música no exercício dizem que um ritmo na faixa de 120 a 140 batimentos por minuto é geralmente ideal para melhorar o desempenho de muitos exercícios – mas define o ritmo que funciona melhor para você.

Veja também: Como O Treinamento De Força E Resistência Ajuda A Manter A Ansiedade Sob Controle

Como Você Pode Usar A Música Para Dormir Melhor 

Deseja começar a usar a música como parte de sua rotina noturna?

Aqui estão minhas dicas de como fazê-lo bem:

Batidas Lentas São As Melhores.

Lembre-se, o corpo e o cérebro são altamente responsivos à música, incluindo seu ritmo e andamento.

Para mover seu corpo para o modo de relaxamento e sono, use músicas com um ritmo de cerca de 60 a 80 batimentos por minuto.

Sua frequência cardíaca se ajustará gradualmente para corresponder a esses batimentos mais lentos e sua respiração diminuirá, colocando-o mais perto de um estado de sono.

Salve essas músicas em ritmo acelerado para se movimentar pela manhã ou para mantê-lo alerta em uma longa viagem.

Evite Gatilhos Emocionais.

As músicas do fim dos seus dias de faculdade ainda podem causar problemas.

Essas não são as músicas que você deseja ouvir na hora de dormir.

Evite a música que faz você sentir emoções fortes, seja tristeza ou emoção.

Veja também: Como Controlar Suas Emoções Quando Estão Fora De Controle

Experimente Músicas Sem Letra.

Todo mundo é diferente, mas recomendo aos meus pacientes que optem por música sem letra, na hora de dormir.

Sua mente não pode deixar de acompanhar, e as letras podem ser mentalmente estimulantes.

Você quer dar um descanso a esses centros cognitivos do cérebro, e não acendê-los.

Seja Consistente.

Pesquisas sugerem que os efeitos benéficos da música para dormir e relaxar ficam mais fortes com o tempo.

Se você está conectado, alerta e estressado à noite, sua nova rotina musical pode não fazer uma diferença imediata nessas primeiras noites.

Continue consistente por algumas semanas e provavelmente descobrirá que os efeitos calmantes são mais fortes.

Não Ignore O Resto Do Seu Ambiente De Sono.

Se você estiver ouvindo uma sonata de Bach em uma sala iluminada por luzes ou com o rosto na tela do computador, provavelmente não terá os efeitos indutores de sono da música em segundo plano.

Tenha certeza de que o resto de sua rotina noturna e ambiente seja calmo e pouco iluminado.

Encorajo meus pacientes a ouvir música relaxante nos últimos 30 ou 45 minutos antes de ir dormir.

Não Adormeça Com Fones De Ouvido.

Se você quer ouvir música enquanto dorme, tudo bem.

Mas não confie em fones de ouvido, que podem tornar o sono desconfortável e danificar seu canal auditivo.

Preste Atenção Em Como Você Se Sente.

A experiência de ouvir música é incrivelmente individual.

Todos nós reagimos e nos relacionamos de maneira diferente com as músicas e encontramos um significado diferente dentro delas.

A música clássica é frequentemente usada nos estudos que citei aqui e é uma escolha popular para ouvir a hora de dormir.

Se não é sua praia, tudo bem.

Tente jazz, new age ou folk.

Tudo o que faz você se sentir calmo, calmo, relaxado e coloca seu corpo e mente em um modo tranquilo é a escolha certa para você.

Sobre o Autor: Mauro Lisboa foi formalmente diagnosticado com Síndrome do Pânico e Transtorno da Ansiedade Generalizada (TAG), sofreu por 12 anos até desenvolver um método próprio baseado na Terapia Cognitivo-Comportamental e Psicologia Avançada que lhe permitiu eliminar todos os sintomas e voltar a viver uma vida normal e plena. Hoje ele ajuda pessoas na mesma situação. Para aprender mais, cadastre seu e-mail acima ou visite ansiedadepanico.com.

0 comments… add one

Leave a Comment