Por Que É Tão Difícil Resistir A Alimentos Tentadores?

Se você está preocupado com seu peso, provavelmente tem alimentos que são quase impossíveis de resistir.

Quando você vê a comida, ou mesmo uma foto ou um comercial dela, seu pensamento fica focado naquela comida.

Você anseia, saliva e não consegue tirá-la da mente.

Racionalmente, você sabe que não precisa dela e que provavelmente não proporcionará tanto prazer, mas não ficará feliz até finalmente comer.

É provável que essa sensibilidade aos sinais alimentares provoque uma alimentação desnecessária que pode contribuir para o ganho de peso.

Um estudo recente sugere que existe um processo fisiológico responsável pelo aumento da sensibilidade aos estímulos alimentares que desencadeiam o desejo.

Psicólogos em Dartmouth pesaram estudantes universitários e, em seguida, fizeram varreduras cerebrais usando imagens de ressonância magnética funcional (fMRI).

As varreduras cerebrais ocorreram enquanto eles visualizavam imagens de cenas neutras (por exemplo, animais, pessoas) e imagens de alimentos apetitosos.

Veja também: 5 Ferramentas Simples Para Superar Os Desejos Por Alimentos Não Saudáveis

A análise da varredura se concentrou no núcleo accumbens enquanto os participantes visualizavam as imagens.

O prazer alimentar não é apenas um pensamento consciente, mas é mediado por estruturas cerebrais profundas, incluindo o núcleo accumbens.

Os pesquisadores levantaram a hipótese de que haveria uma relação entre maior atividade no nucleus accumbens durante a visualização de fotos de alimentos e ganho de peso.

Os participantes que tiveram menos resposta às imagens teriam menos probabilidade de ganhar.

Seis meses após a varredura inicial, os participantes voltaram ao laboratório para uma pesagem de acompanhamento.

Como previsto, houve uma relação entre a atividade cerebral relacionada à recompensa e o ganho de peso subsequente.

Maior atividade no nucleus accumbens ao visualizar imagens de alimentos previu ganho de peso seis meses depois.

Este processo não requer exposição ao alimento real e pode ocorrer inconscientemente.

Você pode nem sempre estar ciente dos gatilhos que causam o desejo.

Fotos, comerciais de TV e outros estímulos podem aumentar a probabilidade de aumentar o desejo.

Veja também: Distúrbios Alimentares: Não Se Trata Apenas De Comida

As descobertas demonstram que a exposição a estímulos alimentares aumenta a atividade nos centros de recompensa do cérebro.

Existe uma base biológica para os desejos, eles não são apenas uma questão de “força de vontade”.

Funções cognitivas de ordem superior, como o pensamento racional, podem ajudar a reduzir os desejos, mas o estresse enfraquece o controle do comportamento pelo córtex (a parte mais avançada do cérebro).

Reduzir os estressores e compreender as origens biológicas pode ajudar a conter os desejos.

Referências

Demos, KE, Heatherton, TF & Kelley, WM (2012). Diferenças individuais na atividade do nucleus accumbens em relação aos alimentos e imagens sexuais predizem ganho de peso e comportamento sexual. Journal of Neuroscience, 32, 5549-5552.

Sobre o Autor: Mauro Lisboa foi formalmente diagnosticado com Síndrome do Pânico e Transtorno da Ansiedade Generalizada (TAG), sofreu por 12 anos até desenvolver um método próprio baseado na Terapia Cognitivo-Comportamental e Psicologia Avançada que lhe permitiu eliminar todos os sintomas e voltar a viver uma vida normal e plena. Hoje ele ajuda pessoas na mesma situação. Para aprender mais, cadastre seu e-mail acima ou visite ansiedadepanico.com.

0 comments… add one

Leave a Comment