Transtorno De Personalidade Dependente: Causas, Sintomas E Suporte

O transtorno de personalidade dependente (TPD) é um transtorno de personalidade ansiosa caracterizado pela incapacidade de ficar sozinho.

Pessoas com TPD desenvolvem sintomas de ansiedade quando não estão perto de outras pessoas.

Elas contam com outras pessoas para obter conforto, segurança, conselho e apoio.

Pessoas que não têm essa condição às vezes lidam com sentimentos de insegurança.

A diferença é que as pessoas com TPD precisam da garantia de outras pessoas para funcionar.

De acordo com a Clínica Cleveland, as pessoas com essa condição normalmente apresentam os primeiros sinais no início da idade adulta.

Uma condição deve se enquadrar em um dos seguintes grupos para ser classificada como transtorno de personalidade:

Grupo A: Comportamento Estranho Ou Excêntrico

Grupo B: Comportamento Emocional Ou Errático

Grupo C: Comportamento Ansioso E Nervoso

TPD pertence ao grupo C.

Os sinais deste distúrbio incluem:

  • comportando-se de forma submissa
  • contar com amigos ou família para a tomada de decisões
  • precisar de repetidas garantias
  • ser facilmente magoado pela desaprovação
  • sentir-se isolado e nervoso quando sozinho
  • temer rejeição
  • ser excessivamente sensível às críticas
  • ser incapaz de ficar sozinho
  • ter tendência a ser ingênuo
  • temer o abandono

Pessoas com TPD podem exigir garantias constantes.

Elas podem ficar arrasadas ​​quando relacionamentos e amizades são rompidos.

Veja também: Como Superar A Depressão E A Ansiedade

Quando sozinha, uma pessoa com TPD pode experimentar:

  • nervosismo
  • ansiedade
  • ataques de pânico
  • medo
  • desesperança

Alguns desses sintomas são iguais para pessoas com transtornos de ansiedade.

Pessoas com problemas médicos, como depressão ou menopausa, também podem apresentar alguns desses sintomas.

Fale com seu médico para receber um diagnóstico específico se sentir algum dos sintomas anteriores.

Não se sabe o que leva as pessoas a desenvolver TPD.

No entanto, os especialistas citam fatores biológicos e de desenvolvimento.

Alguns fatores de risco que podem contribuir para o desenvolvimento deste distúrbio incluem:

  • ter um histórico de negligência
  • ter uma educação abusiva
  • estar em um relacionamento abusivo de longo prazo
  • ter pais superprotetores ou autoritários
  • ter um histórico familiar de transtornos de ansiedade

Seu médico fará um exame físico para ver se uma doença física pode ser a origem dos sintomas, especialmente ansiedade.

Isso pode incluir exames de sangue para verificar se há desequilíbrios hormonais.

Se os testes forem inconclusivos, seu médico provavelmente o(a) encaminhará a um especialista em saúde mental.

Um psiquiatra ou psicólogo geralmente diagnostica TPD.

Eles levarão em consideração seus sintomas, histórico e estado mental durante o diagnóstico.

O diagnóstico começa com uma história detalhada de seus sintomas.

Isso inclui há quanto tempo você os experimenta e como surgiram.

Seu médico também pode fazer perguntas sobre sua infância e sua vida atual.

Veja também: Transtorno Da Ansiedade Social: Causas, Sintomas E Diagnóstico

O tratamento se concentra no alívio dos sintomas.

A psicoterapia costuma ser o primeiro curso de ação.

A terapia pode ajudá-lo(a) a compreender melhor sua condição.

Também pode lhe ensinar novas maneiras de construir relacionamentos saudáveis ​​com outras pessoas e melhorar sua auto-estima.

A psicoterapia geralmente é usada em curto prazo.

A terapia de longo prazo pode colocá-lo(a) em risco de se tornar dependente de seu terapeuta.

Os medicamentos podem ajudar a aliviar a ansiedade e a depressão, mas geralmente são usados ​​como último recurso.

Seu terapeuta ou médico pode prescrever um medicamento para tratar ataques de pânico resultantes de ansiedade extrema.

Alguns medicamentos para ansiedade e depressão criam hábitos, portanto, você deve consultar seu médico regularmente enquanto os toma para evitar a dependência de receita.

A causa da TPD é desconhecida, o que torna difícil evitar o desenvolvimento da doença.

No entanto, reconhecer e tratar os sintomas precocemente pode prevenir o agravamento da condição.

Pessoas com TPD geralmente melhoram com o tratamento.

Muitos dos sintomas associados à doença diminuirão com a continuação do tratamento.

O TPD pode ser opressor.

Como acontece com outros transtornos de personalidade, muitas pessoas se sentem desconfortáveis ​​em procurar ajuda para seus sintomas.

Isso pode afetar a qualidade de vida e aumentar os riscos de ansiedade e depressão a longo prazo.

Se você suspeita que um ente querido pode ter TPD, é importante incentivá-lo a procurar tratamento antes que sua condição piore.

Este pode ser um assunto delicado para alguém com TPD, especialmente porque eles buscam aprovação constante e não querem decepcionar seus entes queridos.

Concentre-se nos aspectos positivos para que seu ente querido saiba que não está sendo rejeitado.

Sobre o Autor: André Coelho é Psicólogo e Escritor para o departamento de estresse e ansiedade do portal Auto Ajuda Em foco e faz parte do Auto Ajuda Em Foco desde 2012. André trabalhou tratando indivíduos com transtornos da ansiedade, fobias e estresse pós-traumático por mais de 6 anos.

0 comments… add one

Leave a Comment