Meu Marido Me Deixou Após 14 Anos De Casamento E Eu Estou Devastada

Meu marido me deixou em junho, dizendo que me amava, mas que não estava “apaixonado” por mim.

Após catorze anos de casamento, estou completamente devastada.

Depois de nos separarmos, continuamos a nos ver por alguns meses, mas depois ele terminou tudo novamente e eu descobri que ele realmente tinha conhecido outra pessoa.

Gerenciei da melhor maneira que pude.

Tentei fazer coisas novas e fazer novos amigos.

Aí em outubro, ele me disse que lamentava da decisão e queria tentar novamente.

Na época, ele ainda estava no relacionamento novo.

Ingenuamente, eu fiz sexo com ele, mas depois eu disse para ele que ele precisava terminar com esta mulher antes que pudéssemos tentar novamente, aí uma semana depois, ele fez exatamente isso.

Ele ficou morando na casa dos pais e nós tentamos ir devagar.

Durante a primeira semana, saímos em alguns encontros, mas durante este tempo, esta mulher ainda ficava enviando mensagens e ligando para ele.

Ele não bloqueou o número dela – ele disse que ia bloquear, mas nunca bloqueou.

Na sexta-feira à noite, ele passou a noite e eu deixei ele dormir em nossa cama, fizemos sexo no sábado de manhã e depois ele voltou para seus pais.

No domingo, o pai dele me ligou para perguntar se ele poderia vir me ver, dizendo que “só queria ajudar”.

Ele veio na minha casa e nós tivemos uma longa conversa sobre levar as coisas devagar.

Ele revelou que tinha dito ao meu marido para sair de casa e passar alguns dias sozinho e esfriar a cabeça.

Porém, naquela mesma tarde, alguém enviou uma foto dele para o meu celular na cama com a outra mulher, com as palavras “ontem à noite” embaixo.

Assim parece que, depois que ele me deixou no sábado de manhã, ele foi direto para ela no sábado à noite.

Fiquei tão furiosa que liguei para ele na hora e perguntei o que ele estava fazendo – e disse para ele me dizer que amava ela e que nunca mais ouviria falar de mim.

Ele fez exatamente isso.

Agora me sinto sem valor e com o coração partido.

Eu simplesmente não sei como continuar.

Tenho 46 anos e de repente estou solteira.

Ele até virou as costas para a enteada dele de 16 anos, que ele criou desde quando ela tinha 1 ano.

Esta outra mulher é usuária de cocaína – ela tem quatro filhos que não consegue controlar e que não vai à escola, não trabalha e tem uma casa imunda – meu marido me contou tudo isso.

Eu não sei como continuar.

Eu choro, não consigo funcionar direito e gostaria de não estar aqui.

A resposta do Paulo:

Há poucas coisas neste mundo mais difíceis do que ser abandonada por alguém que você pensava que te amava tanto quanto você o amava.

Isto aconteceu com você em junho e novamente em outubro, então não é de se surpreender que você esteja se sentindo devastada e incapaz de lidar com isso.

Seria estranho se você não estivesse assim.

Quando investimos em relacionamentos, nós nos abrimos automaticamente para a dor porque parte de amar alguém é sentir-se capaz de compartilhar nossa vulnerabilidade com ele.

Isso geralmente é uma coisa boa, porque significa que podemos ser nós mesmas – não temos que fingir e podemos convidar essa pessoa a realmente entender quem somos.

Entretanto, quando as coisas não funcionam, ficamos com perguntas que nos mantêm acordados durante a noite.

Não tenho dúvidas de que a que mais te incomoda é provavelmente o motivo pelo qual ele parece ter escolhido esta mulher em vez de você, dado o que ele já disse anteriormente sobre ela.

Perguntas como esta, muitas vezes, se tornam tão consumidas a ponto de ser literalmente impossível pensar em qualquer outra coisa.

Às vezes a dor fica tão ruim, que não estar aqui parece ser o único caminho a seguir.

Portanto, a primeira coisa que eu gostaria que você fizesse é obter ajuda profissional.

Consulte seu médico e considere a possibilidade de consultar um Terapeuta.

Todos nós precisamos de ajuda ocasionalmente e, às vezes, precisamos ser pressionados para que realmente a procuremos.

Também não sinta que você tem que ir sozinha – leve uma amiga para apoiá-la.

O segundo ponto é lembrar como, depois que ele te deixou pela primeira vez, você foi lá e fez coisas novas e fez novas amizades.

Tudo isso é bom e você pode fazer isso novamente, mas também não se esgote.

Muitas vezes, usamos táticas como esta para bloquear os sentimentos dolorosos, que depois, infelizmente, têm a tendência de se enterrar ainda mais fundo.

É por isso que eu tenho sugerido ajuda profissional.

Um Conselheiro vai conseguir te ajudar a superar o que aconteceu e te ajudar a começar a curar de dentro para fora.

Sei que muitas vezes falamos em manter-nos ocupados e isso tem seu lugar, mas em minha experiência, é importante garantir que você faça a melhor coisa na ordem certa.

Penso também que essa parte da luta que você enfrenta gira em torno do papel que seu sogro pode ter desempenhado.

Talvez você esteja pensando que ele ajudou a fornecer a seu marido um álibi para conseguir algum tempo longe com a outra mulher.

Qualquer que seja a verdade, dúvidas como esta aumentam a sensação de traição que você tão claramente descreve.

Muitas vezes olhamos para a família para oferecer apoio em tempos difíceis e não saber em quem você pode confiar para cuidar de você em momentos de necessidade aumenta a sensação de que tudo à sua volta está desmoronando.

Porém, o que eu mais quero lhe dizer é o seguinte.

Tudo o que você me disse sobre onde você está é completamente normal.

Você recebeu um golpe muito pesado e a recuperação de coisas como esta leva tempo, particularmente quando você também está tentando cuidar dos sentimentos de outros que foram afetados, como sua filha.

Não há varinha mágica, mas gradualmente, com o passar do tempo, as pessoas se recuperam e às vezes descobrem que podem ser felizes novamente.

Espero que isto aconteça para você e sua filha.

Faça uso de seus amigos e obtenha a ajuda profissional que eu sugeri.

Sua filha também pode se beneficiar de algum aconselhamento.

Talvez a escola dela possa proporcionar isto.

Pergunto-me, no entanto, se o maior teste poderia vir se seu marido decidir que já se cansou da outra mulher e quiser voltar.

Agora, não me cabe a mim dizer se você deve ou não aceitar ele de volta, isso é com você e você pode ficar muito tentada a ver se uma reconciliação é possível, mas aqui vai uma palavra de prudência.

Tente resistir a qualquer reação aos pedidos de joelhos dele implorando para voltar com você.

Leve o tempo necessário para decidir o que é melhor para você.

Ele quebrou sua confiança duas vezes e deve esperar que você fique muito preocupada de que ele possa fazer isso novamente.

Ele precisaria demonstrar que algo tangível havia mudado para ele e que agora ele estava em posição de se comprometer plenamente com um relacionamento com você.

Talvez, procure algum aconselhamento de casal, mas o que quer que você faça, tenha certeza de que ele saiba que você está falando sério.

Se você tem uma preocupação de relacionamento com a qual gostaria de ter alguma ajuda, favor cadastre seu e-mail no formulário abaixo.

Por favor, consulte nossas páginas de ajuda de relacionamento para obter mais suporte.

Sobre o Autor: Paulo é Terapeuta de Casais, Autor do best-seller A Mulher Que Eles Amam e ajuda mulheres casadas e solteiras a melhorarem seus relacionamentos com os homens com base nas mais recentes pesquisas da psicologia avançada.

0 Comentários… , adicionar um.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.