Como os cristãos podem ter um casamento pacífico

Angela está casada há quinze anos saudáveis.

Ela estuda a Bíblia e aplica princípios bíblicos ao seu casamento.

A Bênção do Casamento

Um dos conselhos mais significativos que já recebi foi de um pastor.

Ele estava casado há trinta anos, aconselhou centenas de casais em aconselhamento matrimonial, realizou muitos congressos de casamento e era um pilar de sabedoria.

Ele disse com confiança que sabia o único caminho para nunca ter problemas em seu casamento e o encontrou na Bíblia.

Eu era cética, mas, infelizmente, era verdade.

Em 1 Coríntios 7: 8 você encontrará esse versículo.

Posso garantir que, se você seguir este conselho, nunca terá problemas com o casamento, pois diz: “É bom que eles permaneçam solteiros”.

Quando recebi esse conselho, estava casada há catorze anos e já era tarde demais, mas afirmo que é o melhor conselho que já ouvi.

Digo isso porque implica uma verdade ainda maior: se você é casada, haverá problemas.

Haverá desentendimentos, haverá decepções e haverá sentimentos feridos.

Quando duas pessoas vivem em um espaço unido e estão tão intimamente conectadas, é provável que surjam conflitos.

Isso não significa que o casamento não possa ser uma grande bênção.

É só isso!

Pessoas casadas vivem mais.

Deve haver uma razão para isso!

Então, como podemos fazer com que seja uma bênção?

Não posso garantir que sempre será, mas seguir estas dez verdades da Bíblia ajudará.

Veja também: Conselhos, Regras E Segredos Para Um Casamento Feliz – 6 Diretrizes Para Um Bom Casamento

Quanto tempo você ficou casado?

Guarda a minha boca, SENHOR; vigie a porta dos meus lábios. – Salmo 141: 3

Não diga tudo o que passa pela sua mente

Você sabia que, só porque algo entra em sua mente, não precisa sair da sua boca?

Sério, eu sei que é uma ideia nova, mas na verdade nem sempre precisamos falar o que pensamos.

Se odiamos a camisa de nosso marido, não precisamos contar a ele.

Se percebermos que nossa esposa está ganhando peso, não precisamos apontar isso.

De fato, guardando nossa boca, estamos mantendo a paz em nosso casamento.

Isso não quer dizer que você não possa contar essas coisas ao seu cônjuge.

Há um tempo e um lugar para apontar as coisas que te irritam em seu cônjuge.

Se você acha que precisa discutir algo com ele, fale com ele sobre isso, mas escolha bem suas palavras e use a sabedoria em seu tempo.

O coração dos justos pesa suas respostas, mas a boca dos ímpios jorra o mal. – Provérbios 15:28

Veja também: 5 Coisas Que Aprendi No Primeiro Mês De Casamento

Quando você estiver com raiva, faça uma pausa antes de falar

Assim como precisamos proteger nossa língua quando compartilhamos desagradável com nosso cônjuge, isso é duplamente importante quando estamos com raiva.

A melhor maneira de machucar seu cônjuge é soltando a língua em uma briga.

Como mencionei anteriormente, se você é casado(a), haverá conflitos.

Haverá desacordos.

Haverá brigas.

Nós somos humanos.

No entanto, é nesses momentos que precisamos proteger ainda mais a boca.

Uma vez que as palavras saem de seus lábios, você não pode recuperá-las.

Não importa se você as sente fortemente ou se foi um pensamento fugaz, seu cônjuge lembrará essas palavras para sempre e refletirá nelas quando se sentir para baixo ou inseguro(a).

Se você estiver com raiva, é melhor ponderar muito mais suas palavras antes de pronunciá-las.

Faça uma pausa antes de se defender.

O amor… não registra quando foi prejudicado – 1 Coríntios 13: 4-5

Não traga bagagem passada

Isso nos leva ao próximo ponto.

A coisa mais fácil de gritar quando você está com raiva são as negligências de ofensas do seu cônjuge.

Estes não têm lugar na discussão atual.

Antes de tudo, Deus nos chama a perdoar um ao outro.

Se realmente perdoamos um ao outro, essas mágoas do passado não devem mais ser usadas como munição para com o cônjuge.

Se você sente a necessidade de trazer essas mágoas, talvez seja o seu próprio coração que precisa examinar.

Você realmente os perdoou por machucá-lo?

É tão fácil perder a noção do que você está lutando se apontar maneiras pelas quais a outra pessoa te machucou.

É também uma maneira muito fácil de fazê-lo(a) se sentir indefeso(a) e atacado(a).

Nenhuma dessas consequências ajuda a encontrar a paz dentro do seu casamento.

Quem responde antes de ouvir – essa é sua loucura e sua vergonha. – Provérbios 18:13

Veja também: Se Você Está Entediada Em Seu Casamento, Lembre-se Destas 4 Coisas

Ouça

A melhor maneira de terminar uma briga e evitar conflitos é pelo simples ato de ouvir.

Muitas vezes somos tão rápidos em responder que esquecemos de ouvir.

Portanto, Deus não apenas nos chama para sermos lentos em falar, ele nos chama para ouvir a outra pessoa.

Muitas vezes lutamos, mais porque não entendemos o ponto de vista da outra pessoa e não o fato de discordarmos dela.

Portanto, se você estiver com dificuldade para proteger sua língua, faça um intervalo e pergunte à outra pessoa por que ela se sente assim.

Então ouça.

Você pode achar que estão na mesma página, mas estão vendo algo de dois ângulos muito diferentes.

Outro motivo para ouvir, e eu quero dizer realmente ouvir, não apenas ouvir, é que ele(a) está mais disposto(a) a ouvir o que temos a dizer quando estamos prontos para entender de onde ele(a) vêm.

Seu cônjuge fica mais aberto(a), porque não se sente dispensado(a), defensivo(a) e, no entanto, se sente validado(a).

Eles tiraram o peito do que estava pensando e estão dispostos a deixar você falar.

Uma resposta gentil afasta a ira, mas uma palavra dura provoca raiva. – Provérbios 15:1

Fale suavemente

Haverá momentos em um casamento em que precisamos dizer ao nosso cônjuge coisas que não são agradáveis ​​de ouvir.

Talvez tenhamos notado que eles estão voltando para casa e zoneando em frente à TV, em vez de passar um tempo com as crianças, ou estão frequentemente escolhendo seus amigos em detrimento da família.

Essas conversas não são confortáveis ​​e muitas vezes levam a raiva e atitudes defensivas.

É nesses momentos que precisamos ter um cuidado especial em como expressamos nossas frustrações.

Aborde o(a) cônjuge com humildade, sinceridade e calma.

Suas palavras podem não ser bem recebidas, mas ele(a) estará muito mais apto(a) a ouvir, mesmo que pareça que ele(a) não entendeu quando você falou.

Não fique frustrado(a) se ele(a) ficar com raiva, porque se você for gentil, as palavras serão ouvidas melhor do que você pensa.

… Não deixe o sol se pôr enquanto você ainda está com raiva. – Efésios 4:26

Não vá para a cama com raiva

Mesmo se escolhermos ser gentis em nossas ações e nossas palavras, isso não significa que o(a) cônjuge não fique com raiva.

Não podemos controlar como a outra pessoa se sente, mas somos responsáveis ​​por nossos pensamentos e ações.

É tão importante que façamos o possível para resolver quaisquer problemas de raiva com nossos cônjuges o mais rápido possível.

Creio que há uma razão que Deus disse: não deixe o sol se pôr sobre a nossa raiva.

Não é apenas porque precisamos resolver nossa raiva rapidamente, mas à noite, enquanto nos deitamos na cama, é o nosso momento em que deixamos nossos cérebros reproduzirem momentos dolorosos.

Se você se vê repetindo os eventos do dia em sua cabeça e isso faz com que você não durma, então precisa decidir deixar para lá e perdoar.

…Perdoe os outros, e você será perdoado. – Lucas 6:37

Perdoe Rapidamente, Perdoe Freqüentemente, Perdoe Totalmente

Sim, perdoe.

Sei que já disse isso algumas vezes antes, mas é porque, acima de tudo, a coisa mais importante que podemos fazer em nosso casamento é perdoar.

Perdoe-os por terem um dia preguiçoso e não limpar a casa, perdoe-o(a) por gritar com você quando não foi sua culpa em primeiro lugar, perdoe-o(a) por danificar a porta do armário quando jogaram o sapato de tanta frustração, perdoe rapidamente, perdoe frequentemente e perdoe completamente.

Perdoar não é apenas para o outro; é para você também.

Se você optar por se apegar à raiva, seu cônjuge ainda poderá dormir uma boa noite ao seu lado (o que provavelmente o deixa mais irritado), mas é você quem o repete na cabeça a noite toda.

Perdão dá-lhe a paz.

… Servir um ao outro humildemente apaixonado. – Gálatas 5:13

Veja também: Os Três Pilares De Um Casamento Bem-sucedido – O Amor Não É Um Deles!

Sirva desinteressadamente

Servir a outra pessoa desinteressadamente é provavelmente o mais difícil para nós, além do perdão.

Muitas vezes sentimos que não devemos ter a maior parte da responsabilidade em casa.

Não queremos ser os únicos que limpam a casa, principalmente quando os dois estão trabalhando o dia inteiro.

No entanto, Deus nos chamou para servir uns aos outros.

Em Filipenses 2: 3, Ele afirma que devemos pensar nos outros acima de nós mesmos.

Ai! Nem me fale o quanto essa ordem é difícil.

Com muita frequência, nos preocupamos tanto com o que a outra pessoa não está fazendo; que esquecemos de refletir sobre o que poderíamos estar fazendo para ajudá-la.

O objetivo de um casamento é trabalhar como um.

Às vezes isso significa em uma estação da vida; você terá que fazer a maior parte do trabalho.

Não deixe a amargura se enraizar, mas escolha servi-los com humildade e amor.

… faça o que é bom e empreste, sem esperar nada em troca. – Lucas 6:35

Pare de ter expectativas irreais

Parar de criar expectativas irreais combina com servir humildemente um ao outro com amor.

Precisamos garantir que nossas ações para com nossos cônjuges não sejam condicionais.

Se limparmos a casa, esperando que ele(a) volte para casa, vê a casa limpa e agradece, isso significa expectativas irreais.

Sim, seria bom, mas não devemos esperar.

Se você assumir tarefas da casa para que seu cônjuge possa se divertir com os amigos, não devemos assumir que ele voltará para casa e nos recompensarão por nosso ato altruísta.

Devemos fazer essas coisas por amor à nossa cara-metade.

É verdade que quanto mais fazemos por nossos entes queridos, mais eles querem fazer por nós, mas se fizermos isso como nosso objetivo, teremos perdido o ponto de Deus de servir fielmente aos outros.

Beije-me de novo e de novo, seu amor é mais doce que o vinho

– Cântico de Salomão 1: 2

Seja Carinhoso(a)

Sim, haverá brigas, e sim, haverá sentimentos de ser aproveitado(a), mas não deixe que essas coisas nos façam perder nosso afeto físico um pelo outro.

Dê um abraço no seu cônjuge todos os dias, se ele(a) merece ou não.

Se ele gosta aqui esfrega as costas, esfregue as costas.

Se ela gosta de abraçar, abrace.

Não retenha a intimidade física do seu cônjuge, a menos que haja uma razão legítima para isso, como para fins médicos.

Nada machuca mais um cônjuge quando ele se sente mal-amado fisicamente.

O amor verdadeiro é difícil, mas é isso que devemos mostrar ao mundo e, especialmente, a nossos cônjuges.

Não estou falando da emoção divertida que você sente quando as coisas são fáceis.

Essa parte do amor é fácil.

Estou falando do amor diário que temos que escolher para agir em relação ao nosso amado.

O amor não é apenas um sentimento, mas uma ação que decidimos fazer.

Essa ação pode nem sempre corresponder ao sentimento, e ainda assim deve ser mostrada independentemente.

Ter um casamento pacífico é difícil, porque muitas vezes significa abandonar nosso orgulho e colocar nosso cônjuge acima de nós, mas quando estamos fazendo o casamento corretamente, é muito gratificante.

Perguntas e Respostas

  • Pergunta:

Como faço para fazer as pazes com minha esposa depois de uma briga?

Resposta:

Por mais simples que isso pareça, você precisa se desculpar.

Não diga “me desculpe, mas…”, porque isso não é um pedido de desculpas.

É como dizer: “Eu fui justificado no que fiz”.

Não há problema em explicar o que o outro fez, mas é preciso redigir com cuidado.

Por exemplo: “Quando você fez isso, me fez sentir…, mas eu deveria não reagir dessa maneira.

Por isso sinto muito”.

É incrível o quanto um pedido de desculpas sincero pode acalmar as coisas.

Muitas vezes, as coisas não se acalmam por causa da maneira como uma pessoa se desculpa.

Se ela ainda parecer chateada, repita o pedido de desculpas com calma e pergunte gentilmente: “Por favor, posso ter seu perdão?”

  • Pergunta:

Como faço para eliminar meu temperamento no casamento?

Resposta:

Através de muita e muita prática.

Toda pessoa terá que aprender a se acalmar.

Mais importante, você precisa aprender quando sua raiva é justa e quando é irracional.

A melhor coisa para eu não mostrar meu temperamento é ficar quieta.

Eu não abro a boca.

No momento em que abro a boca, quando sinto que perdi a paciência, é quando as coisas vão mal.

Se eu ficar quieta, geralmente posso controlá-la.

Então, quando me sinto calma o suficiente, posso falar mais racionalmente.

Muitas das razões pelas quais as pessoas têm problemas para acalmar seu temperamento são as conversas que fazem consigo mesmas.

Você está dizendo a si mesmo(a) toda transgressão que seu cônjuge fez desde antes de se casar ou está se lembrando de que o ama e isso é apenas uma coisa pequena no grande esquema das coisas em um casamento?

Você está dizendo a si mesmo(a) como está certo(a) ou errado(a), ou está dizendo a si mesmo(a) como pode ter contribuído para o problema ou, melhor ainda, como poderia ter ajudado a aliviar o problema no futuro?

Com muita frequência, gastamos muito tempo focando no problema; enfatizamos demais a magnitude do problema naquele momento.

Perdemos de vista o quadro geral.

Ao aprender a falar consigo mesmo(a), isso ajudará a eliminar o seu temperamento.

  • Pergunta:

O que devo fazer se meu cônjuge continuar usando as mesmas palavras para me machucar?

Eu continuo perdoando ele por isso, toda vez.

Resposta:

Embora eu não saiba os detalhes, isso soa como abuso emocional.

Você o perdoou por agressões passadas, mas, infelizmente, ele não parou.

Gostaria de encorajá-la a conversar com ele sobre o efeito que essas palavras têm sobre você.

Se você não puder fazer isso ou ele não estiver disposto a ouvi-la, considere terapia de casal.

O conselheiro pode conseguir ajudar vocês a se comunicarem melhor para que você possa trabalhar para superar alguns desses desafios.

  • Pergunta:

E se um dos cônjuges trair com outra pessoa?

Ainda se pode ignorar e continuar a amá-la?

Resposta:

Infelizmente, isso não é algo que possa ser respondido com uma resposta definitiva.

Acredito que haja uma resposta diferente para cada casal em cada circunstância.

Não culpo uma mulher ou um homem na mesma circunstância por qualquer decisão que escolherem.

A pessoa que foi traída está disposta a terminar com a pessoa que traiu?

Ela pode confiar que não será traída novamente?

Você está lidando com um vício que precisa de tratamento?

Você precisa ir ao aconselhamento matrimonial para curar?

Ele(a) está disposto a ir com você?

Não vou dizer se você responde de uma maneira ou de outra com as perguntas acima que você deve escolher um determinado resultado.

Apenas acredito que as respostas a essas perguntas devem ajudar você a obter o resultado certo para a sua circunstância.

Uma coisa que chamou minha atenção é a maneira como você formulou a pergunta; foi uma bandeira vermelha para mim.

Você perguntou: “Alguém ainda pode ignorar isso?” A resposta rápida é não, nem acredito que devam ignorá-la.

A traição precisa ser levada a sério e discutida.

Sim, você pode optar por perdoar, mas não optar por ignorar.

Existe uma grande diferença entre os dois.

Eu também acredito que você pode optar por sair e ainda optar por amar a pessoa.

Quando você tem sentimentos fortes por alguém, como o amor, não pode simplesmente desligá-lo.

Geralmente, o que acontece é que você substitui amor por ódio.

Uma emoção forte substitui outra emoção forte.

Não deixe que isso aconteça.

Não fique amarga e zangada.

Sim, fique com raiva por um tempo, mas não fique lá caso contrário, você ficará amargo(a).

  • Pergunta:

Meu noivo tem uma amiga íntima a quem ele diz que faria de tudo por ela.

Isso me incomoda, embora eu não acredite que exista algo entre eles além de Dar e receber apoio um do outro em momentos difíceis.

Devo sentir ameaçada por isso?

Resposta:

Independentemente se você deve ou não, você se sente.

Definitivamente, é algo sobre o qual você precisa conversar e ter certeza de que ambos concordam com os limites que precisam ser colocados entre ele e essa amiga.

Pessoalmente, eu e meu marido decidimos que existem limites muito distintos para todos os relacionamentos entre homens e mulheres.

Se precisarmos enviar e-mail, mensagem, etc, uma pessoa do sexo oposto, geralmente anexamos o cônjuge ou um ao outro na correspondência.

Também não saímos com alguém do sexo oposto sem a outra pessoa.

Os limites do seu relacionamento podem parecer diferentes, mas precisa ser algo com o qual ambos se sintam à vontade.

Sobre o Autor: Cristiane Lima é especialista em namoro e relacionamentos, trabalha com mulheres para orientá-las a encontrar o homem certo e o relacionamento com o qual sempre sonharam.

0 comments… add one

Leave a Comment