10 Motivos Para Não Pedir O Divórcio

Hoje em dia todos os casais já pensaram em divórcio pelo menos uma vez durante o casamento.

Para alguns, o divórcio é uma ameaça constante. Para outros, o divórcio parece a única esperança.

Não importa se você já pensou em divorciar do seu marido uma vez ou pensa nisso todos os dias, esse artigo mostra dez boas razões para não divorciar.

É importante começar com o aviso que esses motivos vão ajudar apenas você a decidir sobre o divórcio.

Se é o seu parceiro que quer terminar o casamento, você não consegue força-lo a continuar casado.

E mais um aviso:

Se o seu parceiro se encaixa em uma das quatro situações abaixo, o divórcio é suficientemente justificado:

  1. Ele cometeu ou continua cometendo adultério;
  2. Ele é abusivo;
  3. Ele é viciado em álcool ou drogas;
  4. Ele deixa você desamparada.

Em outras palavras, se ele está traindo você, batendo em você, humilhando você, é um alcoólatra ou viciado em drogas, esse artigo não se aplica a você.

Porém, se os motivos acima não se aplicam, aqui vão 10 motivos para pensar bastante antes de pedir o divórcio.

1. Os Filhos.

O primeiro motivo é uma das principais coisas que nós consideramos: as crianças.

Você deve continuar casada por causa dos filhos?

Bem, pelo menos pense sobre o impacto do divórcio neles.

Com o tempo, você vai superar o divórcio. Eles jamais conseguirão.

Eles jamais vão superar a perda da família, as vidas deles jamais serão as mesmas.

Jamais.

Quando pai e mãe começam a viver vidas separadas, o mundo de uma criança nunca mais é o mesmo e elas são obrigadas a enfrentar uma nova realidade.

Para o seu filho ou filha, o conto de fadas acabou oficialmente.

Sim, as crianças “seguem em frente“, mas são afetadas pelo divórcio para sempre.

De fato, um estudo mostrou que 25 anos depois, crianças de pais divorciados ficaram 40% menos propensas a casarem.

Elas tiveram problemas românticos por muitos anos depois do divórcio.

As Crianças São Afetadas Sempre.

Em outro estudo, “Os efeitos do divórcio na américa“, descobriram correlações assustadoras entre problemas em crianças e divórcio.

O divórcio estava associado a níveis mais altos de abuso de drogas, baixo rendimento escolar e taxas de suicídios mais altos.

Esses estudos são alguns exemplos apenas… existem centenas de outros estudos feitos sobre o assunto também.

Essas estatísticas não tem a intenção de fazer ninguém sentir culpa ou se sentir mal por alguma coisa que já aconteceu.

Mães divorciadas e padrastos tentam tirar o melhor de uma situação difícil, mas não se engane, as crianças são afetadas… e muito.

É comum observar muita raiva em crianças com pais divorciados.

Isso se deve amplamente à maneira como a criança se sente rasgada entre as duas pessoas que ela mais ama no mundo: o pai e a mãe, que agora não gostam mais um do outro.

Divórcio é um conflito contínuo, mesmo não havendo brigas, e causa uma divisão dentro da criança.

Portanto, o motivo número um para não divorciar é as crianças.

O divórcio tem um impacto negativo nelas e ponto final.

Veja também: As 10 Maiores Coisas Que As Mulheres Fazem Para Destruir O Casamento

2. Custódia.

O próximo motivo está muito relacionado com o primeiro e envolve crianças.

O motivo número um é como o divórcio afeta a vida das crianças.

O segundo motivo envolve a forma como o divórcio muda a dinâmica da família.

Uma das piores coisas sobre o divórcio, se crianças estão envolvidas, é a nova palavra desagradável que todo mundo vai ter que se acostumar: custódia.

Você não tem mais as crianças na sua casa o tempo todo como costumava ter.

Você vai compartilhar as crianças com seu ex-marido, e você vai ter que reorganizar toda sua vida para acomodar essas mudanças.

Se você não ficou com a custódia do seu filho, você vai sentir muita falta dele.

Não existe nada pior do que a dor de uma mãe sentindo saudade dos filhos.

Fugir de um casamento porque não foi o que você queria pode significar fugir das suas crianças… e isso tem um impacto enorme.

Também é importante compreender que até mesmo quem ficou com a custódia acaba perdendo.

Toda vez que os filhos vão para a casa do outro, quem tem a custódia não sabe o que eles estão fazendo por esses dias.

Não é porque o tempo que eles passam com seu ex-marido é necessariamente ruim, mas a maioria das mães gostam de saber onde seus filhos estão e o que estão fazendo.

A situação de custódia muda isso.

Você não tem mais acesso 24 por dia à sua filha ou filho.

Isso é difícil de engolir.

Essa é uma consideração muito importante e uma razão para o impacto do divórcio ser tão profundo.

Custódia também significa que seus filhos vão ter agora duas casas, e não uma.

Para o resto da infância deles, eles vão ter que dividir entre duas residências e vão ter que ajustar a vida toda vez que ir de uma casa para outra.

Sim, acordos de custódia podem parecer fáceis no papel, mas emocionalmente eles raramente são fáceis.

3. Devastação Emocional.

O divórcio é emocionalmente devastador para a maioria das pessoas.

O divórcio nos força a enterrar todos os sonhos que acreditávamos que ia acontecer quando você decidiu casar com seu parceiro.

O divórcio separa você da pessoa que você acreditou que estaria sempre do seu lado para te apoiar e segurar sua mão quando você ficar velhinha e frágil.

Você pode negar a dor, mas sempre existe dor no divórcio.

Divórcio é um tipo de morte, onde a pessoa precisa passar pelo luto da perda do mesmo jeito que nós passamos quando um ente querido morre.

Divórcio é a maior das rejeições, porque você está rejeitando o sendo rejeitada por uma pessoa que você tinha certeza que era a melhor do mundo.

Nessa cultura moderna, nós crescemos tão acostumados com as pessoas separando que essa dor silenciosa é extremamente ignorada, não é reconhecida, mas continua sendo real.

Muitas pessoas podem até tentar encobertar a dor com vícios ou relacionamentos novos, mas isso não sara a ferida.

As pessoas jamais serão as mesmas depois do divórcio, porque todos os fundamentos mudaram.

Veja também: 7 Maneiras De Salvar Seu Casamento (Quando Você Já Não Tem Mais Esperança)

4. Perda Da Autoconfiança.

Quando você começar a namorar outra pessoa, existe a possibilidade de você ficar resistente e evitar o compromisso de casar de novo.

De fato, se um futuro namorado falar de casamento para você, você pode ficar horrorizada.

Veja, seu casamento “fracassou“ uma vez e você não vai querer fracassar novamente.

As mulheres crescem achando que vão casar e vão ser felizes para sempre.

Quando você “fracassa“ nessa questão, sua autoconfiança – como mulher capaz de conduzir um casamento – fica profundamente abalada.

É possível você enraizar na cabeça a ideia de que fracassou em uma das tarefas mais importantes da vida adulta: encontrar um parceiro adequado e fazer funcionar.

Outro aspecto da autoconfiança que fica abalado é sua autoconfiança no desejo.

É por isso que pessoas recém divorciadas geralmente passam por uma fase de um namoro após o outro, procurando desesperadamente restabelecer o status de pessoa atraente e desejada.

Outra possibilidade é mergulhar em um relacionamento logo em seguida, além de possivelmente escolher a pessoa errada e complicar ainda mais o divórcio.

5. Perda De Identidade.

Quando o divórcio acontece, os dois lados perdem seus papéis de marido e mulher que estavam tão acostumados.

Mesmo com um casamento cheio de problemas, ainda existe a segurança de saber que você é a esposa dessa pessoa.

Tudo isso evapora depois que você assina os papéis do divórcio.

Você não é mais uma esposa, agora você é ex-mulher, mulher divorciada.

As mulheres sentem essa realidade de uma forma muito prática, porque não leva mais o nome do ex-marido.

Você vai ter que ficar lutando com a decisão de manter o nome dele ou mudar de volta para seu nome original.

Continuar com um sobrenome que não reflete mas a realidade da sua vida pode fazer você ficar confusa, e pode fazer você lembrar do seu ex marido a todo momento.

O casamento dá a você um lugar nesse mundo, e o divórcio tira.

Veja também: Evite Os 10 Maiores Erros Que As Mulheres Cometem Depois Do Divorcio

6. Perda Da Família.

Agora, esse é um motivo muito difícil e doloroso para muitas mulheres.

Lembra que diziam para você que quando você casasse com seu noivo, você iria casar com a família dele também? E ele com a sua?

Bem, essa verdade também funciona ao contrário.

Quando você separar do seu marido, você também está divorciando da família dele, na maioria dos casos.

Veja, assim como os amigos, a família vai se sentir forçada a escolher lados, e adivinha quem eles vão escolher?

Obviamente, o filho!

Portanto, o relacionamento com seu sogro e sua sogra provavelmente vai mudar, e possivelmente terminar.

Algumas mulheres conseguem manter contato com o ex-sogro e ex-sogra, mas isso é raro e muitas vezes esquisito, embaraçoso.

Para algumas pessoas, isso é uma grande perda.

Laços familiares, até mesmo com os sogros, criam raízes profundas, e a tendência é supor que a afinidade nunca vai mudar.

Pode ser muito doloroso começar a perceber que esses laços estão quebrados e precisam ser renegociados.

Todo mundo quer que tudo fique do mesmo jeito, mas não fica, e isso é muito difícil.

7. Perda De Amigos.

Algo que você talvez não perceba ao considerar um divórcio é que sua vida social vai mudar.

Socialmente, o estado civil de uma pessoa é importante e afeta a dinâmica das situações sociais.

Casais sentem mais à vontade em ter amizade com outros casais.

Fazer a mudança para duas pessoas solteiras vai chacoalhar tudo.

Outros casais que são amigos de vocês podem escolher ver você e seu ex-marido em horários diferentes, mas se o laço entre os dois casais era baseado na maior parte em uma pessoa do casal divorciado, seus amigos ficarão obrigados a escolher um lado e serão leais ao amigo original.

Isso não parece muito legal, mas é uma realidade.

Além disso, alguns casais podem não ficar tão à vontade com uma pessoa divorciada.

A presença solitária da pessoa divorciada serve como um lembrete de que as coisas nem sempre funcionam.

Elas podem começar a questionar o próprio casamento.

Problemas que foram jogados para debaixo do tapete podem vir à tona, ao ver a separação de um casal aparentemente blindado, que ninguém jamais poderia imaginar que iriam separar.

Do mesmo jeito que as pessoas não sabem o que dizer para alguém que está em luto por causa da perda do cônjuge, as pessoas também não sabem como lidar com a situação.

Por conta disso, eles preferem afastar.

8. Finanças.

Quanto mais tempo vocês têm de casamento, mais tempo vocês tiveram para aumentar o patrimônio.

Você costuma ver casais que já estão juntos por um bom tempo com uma boa dose de estabilidade financeira.

Casal que permanece junto consegue acumular mais patrimônio e uma boa reputação, já que os dois trabalham em conjunto para o bem da família, do lar e da instituição.

O divórcio rompe esse processo de construção de patrimônio e força os dois lados a começar do zero.

O divórcio é muito caro de diversas formas.

Existem os custos legais para obter o divórcio.

Se o divórcio envolve filhos, é preciso decidir a custódia.

Se existe patrimônio (e isso inclui até mesmo os móveis da casa), tem que ser dividido.

Todas essas coisas geralmente envolvem custos altos.

Tudo que envolve justiça, você precisa pagar pelo tempo do advogado.

Os custos podem variar muito, dependendo da situação.

Mas com certeza esses custos são altos para você e para seu marido, porque agora vocês estão pagando para manter duas casas em vez de uma.

Pensão também é um custo muito alto.

Antigamente, cuidar de uma criança costumava ser algo compartilhado, coordenando agendas e empregos para cobrir as responsabilidades.

Agora, a pessoa precisa encontrar um jeito de cuidar da criança basicamente sozinha (geralmente a mulher).

Você pode conseguir uma generosa pensão de seu ex-marido, mas lembre-se que um dos motivos mais comuns para prisão hoje em dia é por causa da falta de pagamento de pensão.

Economicamente, os dois lados perdem nessa situação de pensão alimentícia.

Além disso, as coisas no trabalho precisam mudar para acomodar uma agenda nova. É uma situação nova.

As necessidades das crianças são diferentes, e às vezes mudar de endereço é necessário.

Isso pode afetar seu emprego.

Os seus filhos podem não conseguir continuar os estudos depois que a pensão terminar.

A situação de cada casal é diferente, mas a maioria dos casais sofrem com os custos totais do divórcio.

Muitos estudos foram realizados sobre esse assunto, e a conclusão sempre é de que o divórcio causa um grande impacto financeiro.

Veja também: O Homem Com Quem Você Vai Casar E Divorciar, De Acordo Com Seu Signo

9. Um Segundo Casamento.

Para mulheres querendo construir uma vida nova depois do divórcio, nós acreditamos em segundas chances e isso inclui um segundo casamento.

Se uma mulher é divorciada, ela vai querer compartilhar a vida dela com outro homem e não vai querer ficar simplesmente sozinha.

No entanto, tem um detalhe.

O segundo casamento é mais difícil do que o primeiro casamento.

De fato, estudos mostram que 25% dos segundos casamentos fracassam, em comparação a 20% do primeiro casamento, e o segundo casamento dura, em média, 10,8 anos para os homens e 7 anos para as mulheres.

Porque o segundo casamento é mais difícil?

Aqui vão três razões que mostram que o segundo casamento é mais difícil do que o primeiro casamento.

  1. Nós somos menos inocentes.

Pessoas que estão no segundo casamento são muito menos inocentes e isso deixa a relação mais difícil.

Ambos os lados, apesar de estarem tentando amar novamente, estão com muito medo, isso não é uma boa forma de começar um casamento.

A ameaça e possibilidade de você divorciar de novo vai assombrar a sua cabeça.

É como uma maldição.

Você não vai querer se ferir novamente, consequentemente você vai agir para prevenir isso.

Talvez isso não se aplica para todo mundo, mas para algumas pessoas, isso é um fator determinante.

  1. É complicado.

No segundo casamento, você levará seus filhos e seu segundo marido levará os filhos dele para o relacionamento, o que deixa tudo muito complicado.

As crianças agora têm que lidar com essa pessoa nova e seu marido novo de uma hora para outra tem que virar uma espécie de pai para filhos que ele não criou, e o mesmo acontece com você.

Existem tantas variáveis e tentar criar uma família nova não é um processo simples.

Quando as pessoas casam pela primeira vez, geralmente elas têm um tempo no casamento antes dos filhos entrarem na família.

Mesmo se o casal tiver filhos imediatamente, eles crescem com essas crianças.

Padrastos e madrastas, por outro lado, tem que lidar com crianças bem no início do casamento e não tem o importante período de ajuste.

  1. A história se repete.

Isso está relacionado à primeira razão, que nós somos menos inocentes.

A história se repete, a menos que suas feridas estejam cicatrizadas.

Quando as pessoas passam por um relacionamento turbulento, e termina em divórcio, geralmente é porque por causa dos padrões que afetam o relacionamento.

A menos que você reconheça esses padrões, eles tendem a acontecer de novo no segundo casamento.

Por exemplo, se a insegurança de uma mulher interferia no primeiro casamento dela, essa mesma insegurança provavelmente vai afetar o segundo casamento dela a menos que ela esteja curada ou superou a insegurança.

Se um homem tende a ser controlador demais no primeiro casamento, e isso afastou a esposa dele, essas mesmas tendências controladoras provavelmente vão aparecer no segundo casamento e a história vai se repetir.

O melhor indicador de comportamento no futuro é o comportamento no passado, e se não tiver mudanças profundas, problemas resolvidos, inseguranças superadas e feridas cicatrizadas, o casal corre o risco de atravessar os mesmos problemas do primeiro casamento.

Isso pode ser difícil de engolir, mas é o que mais faz sentido.

10. Você Prometeu.

Os votos do casamento.

Acima de tudo, isso é o motivo mais importante para não divorciar.

Se você casou, você prometeu continuar casada para sempre.

Isso significa na riqueza e na pobreza (através das dificuldades financeiras), na doença e na saúde (quando ele ou alguém da família está doente, isso atrapalha sua vida e até mesmo causa uma turbulência emocional e comportamental), enfim… na melhor ou na pior fase, por todos os problemas e todos os sucessos na vida.

Essas promessas são o que mantém o casal unido quando nada mais consegue.

Você prometeu. Esse é o motivo final, mais importante e mais profundo para não divorciar.

Para As Pessoas Que Tem Uma Escolha.

Concluindo, é importante dizer que isso é um assunto muito emocional, e é importante não entender errado esses motivos.

Não se sinta julgada por causa desses motivos.

Para qualquer pessoa já divorciada, a recomendação é continuar seguindo em frente e tirar o melhor da vida.

Da mesma forma, para mulheres que estão em situações de abuso e adultério, é óbvio que você não vai permanecer em uma situação impossível.

Esses motivos são um alerta para a mulher que está considerando o divórcio, também considerar o custo.

Isso é uma decisão gigantesca e não deve ser tomada considerando poucas coisas.

0 comentários… add one

Leave a Comment